Sem categoria

O perfil do investidor brasileiro e as tendências de investimento em 2020

fevereiro 19, 2020
Tempo de leitura 2 min

Mesmo com o cenário investidor ganhando mais espaço no Brasil, ainda falta muito para atingirmos o nível ideal. Segundo a Ambina (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), os investidores do país chegam a 49% da população e os 51% restantes, em sua maioria, estão em situação de inadimplência.

Como ter o perfil investidor?

Se você pensa em começar a investir é preciso ter, pelo menos, o conhecimento básico de modelos e opções de investimento, além de ter, principalmente, uma estratégia para cada tipo de investimento, o objetivo do investimento e análise do investimento, monitorando previsões de retorno e quais são os riscos envolvidos.

Tendência de investimento.

Se você já se arrisca ou já está acostumado com o mercado de investimentos, iremos te mostrar uma das maiores tendências de investimento de 2020: o mercado imobiliário. Com o cenário otimista e propício para investimentos, o setor que está crescendo cada vez mais, graças as constantes quedas da SELIC, e te explicaremos mais.

Por que investir no mercado imobiliário?

De acordo com o portal InfoMoney, ao entrar no mercado imobiliário, se investe indiretamente em ativos ou títulos associados a empreendimentos, comprando ou vendendo créditos relacionados a serviços, como prédios comerciais, hotéis, agências bancárias e outros empreendimentos.

Segundo a pesquisa da FGV (Fundação Getúlio Vargas), estamos no momento ideal para comprar imóveis. O estudo ainda aponta que a demanda no mercado de construção irá aumentar ao longo dos anos, atingindo 14 milhões de novas moradias até 2025, aquecendo o mercado neste período.

Como investir?

Há diversas formas de investir no mercado imobiliário para gerar rentabilidade, nas quais cada uma é usada em parâmetros diferentes. Pode se investir em um FII (Fundo Investimento Imobiliário), em que acumula capital para ser aplicado diretamente no mercado imobiliário; em LCI (Letras de Crédito Imobiliário), feitas para custear empreendimentos do setor; Títulos de crédito imobiliário; CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) e entre outros.

 

Para diminuir os riscos, é necessário se aprofundar ainda mais em cada uma dessas opções, entendendo os cálculos, situações e o momento ideal para realizar o investimento, por isso cursos relacionados podem te mostrar qual é a melhor maneira, e qual opção escolher, para se investir.

O importante é aproveitar as chances do mercado e conseguir lucrar com isso. Até mesmo com investimentos diretos, como a compra de imóveis para a revenda no futuro é uma boa opção, dito as previsões positivas do setor.

Por isso, fique atento para não perder nenhuma chance!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário